Mapa do Site     
Sábado, 19 de janeiro de 2019.

CPF:
   
Senha:
   

Não possuo senha
Esqueci minha senha



Você já leu o Regulamento do seu Plano de Benefícios?

Sim
Não



Resultado Parcial

Webmail Glossário PROCNET Guia do Participante Estatuto do Idoso Links




 

Gazeta Mercantil | Vida e Previdência
Publicada em 13/04/2009
  

Desafios da previdência no Brasil

Com o aumento contínuo da expectativa de vida do brasileiro, torna-se fundamental a discussão sobre a forma como as pessoas se preparam financeiramente para o futuro.

Ainda resiste o mito de que a Previdência Social irá cobrir os custos e garantir uma aposentadoria tranquila. Esquece-se, no entanto, de que a função prioritária deste benefício é apenas a de suprir as necessidades básicas do ser humano, e não a de garantir conforto e satisfazer desejos.

Por uma questão cultural, poupar ainda não faz parte da rotina do brasileiro. O comportamento imediatista das pessoas faz com que, durante o período laborativo, parte da renda que deveria ser reservada para complementar a aposentadoria acabe sendo destinada a bens de consumo, muitas vezes não duráveis.

Embora possa parecer mais interessante economizar para o futuro por conta própria, a previdência complementar possui como atrativo a disciplina que ela exige do investidor, fator importante quando se pensa em investimento em longo prazo.

Alguns pontos, no entanto, devem ser observados antes de contratar um plano de previdência complementar. É fundamental obter informações sobre as taxas cobradas, checando se existe uma tarifa de carregamento que incide sobre as contribuições pagas. Lembrando que, quanto maior este valor, menos dinheiro será investido no seu plano. Outra cobrança que costuma existir é a taxa de gestão, que normalmente é deduzida diariamente das cotas do fundo e, dependendo do tipo de investimento, prejudica a rentabilidade do plano.

Outro aspecto interessante da previdência complementar é a contribuição significativa que ela tem dado para estimular a cultura do controle financeiro, principalmente por conta do aumento da demanda - tanto das empresas por planos para seus funcionários como de pessoas físicas.

Esta mudança se deve em parte ao aprimoramento dos produtos oferecidos, cada vez mais transparentes na administração dos recursos, além da flexibilidade para o participante escolher como investir ou mudar de gestora caso não esteja satisfeito com a gestão do plano.

Para os participantes, a previdência complementar apresenta vantagens frente outros tipos de investimentos. O primeiro é o incentivo fiscal oferecido pelo governo, por meio do qual o participante pode deduzir da base de cálculo do imposto de renda o valor da contribuição destinada à previdência complementar, o que reduz a quantia descontada direto da fonte. Este valor está limitado a 12% da renda bruta anual.

Vale lembrar que existem dois tipos de tabela para tributação: a progressiva, utilizada na taxação dos salários, e a regressiva ou definitiva, utilizada apenas para planos de previdência complementar, excelente para quem tem foco no investimento em longo prazo, já que a cobrança tem início com a alíquota de 35%, com redução de 5 pontos percentuais a cada dois anos, até atingir a casa dos 10%, no décimo ano em que os recursos ficarem investidos.

Outro diferencial competitivo da previdência complementar é a não tributação dos rendimentos durante a vigência do plano, ou seja, o ganho com a rentabilidade é repassado de forma integral para o participante, o que, por conta do sistema de capitalização (juros compostos), faz diferença ao longo dos anos.

Para as empresas que contribuem com a previdência complementar de seus funcionários, um dos benefícios é a dedução da contribuição paga ao plano da base de cálculo do imposto de renda. Este incentivo está limitado a 20% do total da folha de pagamento dos participantes. Outra vantagem é oferecer um instrumento que irá atrair e reter talentos para a empresa, reduzindo a rotatividade de colaboradores.

Como a previdência complementar é um investimento de longo prazo, é importante planejar adequadamente a quantia que será destinada mensalmente para evitar o resgate prematuro do investimento, pois desta forma não seria possível usufruir plenamente do incentivo fiscal. Uma dica: tenha um fundo de investimento de curto prazo para cobrir as despesas planejadas e tenha um de longo, como a previdência, para garantir uma vida confortável.

Planejamento é o segredo para alcançar objetivos de vida e tranquilidade para a família.


 

Voltar      

 

Fundação Rede Ferroviária de Seguridade Social - REFER
Rua da Quitanda, 173 - Centro - 20091-005 - Rio de Janeiro - RJ.
Central de Relacionamento com o Participante: 0800 709 6362
Todos os direitos reservados.