Mapa do Site     
Sábado, 19 de janeiro de 2019.

CPF:
   
Senha:
   

Não possuo senha
Esqueci minha senha



Você já leu o Regulamento do seu Plano de Benefícios?

Sim
Não



Resultado Parcial

Webmail Glossário PROCNET Guia do Participante Estatuto do Idoso Links




 

Webtranspo
Publicada em 10/08/2009 10:44:55
  

Investimento em transporte deve ser constante

A Copa do Mundo de 2014, que acontecerá em solo brasileiro, virou pano de fundo para inúmeras iniciativas de governo e empresas no que diz respeito a investimentos para revitalizar a infraestrutura das cidades envolvidas com o evento mundial. Os debates sobre o assunto viraram corriqueiros no momento em que se ‘descobriu’ que a baixa qualidade do transporte no País é um dos principais problemas a serem resolvidos.

Para dar andamento nos projetos, o governo federal já implantou o PAC da Copa, que destinará recursos para viabilizar as obras. As empresas que atuam no setor de transporte se mobilizam para desenvolvere produtos que se adequem à nova realidade que se apresenta.

Entretanto, José Geraldo Baião, Presidente da Aeamesp (Associação dos Engenheiros e Arquitetos do Metrô) compartilha da opinião de que esses investimentos no transporte deveriam ser uma ação permanente no País e não apenas em momentos que antecedem eventos de importância mundial.

Mesmo concordando com o atual momento de “ebulição” por qual passa as cidades brasileiras, que ganharão importantes obras para atender a demanda do campeonato de futebol gerando cenários promissores para a economia, Baião salienta que o investimento permanente sempre foi a bandeira levantada pela associação

“Buscamos uma política de governo de longo prazo ligado a uma política industrial para aumentar os investimentos no transporte brasileiro. Os recursos destinados precisam se tornar permanente e nós precisamos explorar isso tanto do governo quanto do setor privado”.

Como um exemplo positivo, o presidente cita o que ocorre em São Paulo, onde o governo investirá R$ 20 bilhões no setor metroferroviário (CPTM, Metrô e sistema de transporte coletivo metropolitano) até 2010.

“Não imaginamos ter investimentos dessa magnitude permanente, mas se tivermos uma sequência de R$ 2 bilhões até R$ 4 bilhões por ano para viabilizar a construção de um certo numero de quilômetros de linhas e novas estações, seria ideal”.

15ª Semana Metroferroviária

Essa preocupação será o foco da 15ª Semana de Tecnologia Metroferroviária, organizada pela Aeamesp, que acontecerá de 25 a 28 de agosto no Centro de Exposições do Shopping Frei Caneca, em São Paulo (SP).

Sob o tema “O Transporte público assegurando o desenvolvimento econômico e Social”, o evento trará palestra e painéis com especialistas do setor de trilhos que abordarão temas como o TAV (Trem de Alta Velocidade) sua interferência e impactos causados nas cidades por quais passará; VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos) e sua implantação no estado de São Paulo, envolvendo a capital, Campinas e Baixada Santista.

“Queremos obter respostas para saber como manter esse desenvolvimento econômico perene com investimentos constantes e sustentáveis”, declara Baião, que nutre a expectativa de atrair mais de duas mil pessoas para acompanharem os debates.

Para isso, ele quer seduzir o setor acadêmico. “Queremos trazer para essa semana os formandos de engenharia e arquitetura para que os mesmos comecem a se familiarizar pelo assunto, iniciar o contato com o atual panorama para se sentir atraídos por esse mercado”, conclui o executivo.


 

Voltar      

 

Fundação Rede Ferroviária de Seguridade Social - REFER
Rua da Quitanda, 173 - Centro - 20091-005 - Rio de Janeiro - RJ.
Central de Relacionamento com o Participante: 0800 709 6362
Todos os direitos reservados.